Tudo igual, cada vez pior.

Acordo e vou para o computador olhar as notícias, na esperança de que já não estou mais no mundo paralelo que me encontrava ontem.

Doce ilusão!

Tudo igual, cada vez pior.

Fui dormir com o “educador” Frota, dando palpites, ou melhor, entregando projetos para a educação no país.

Acordo com a troca de Embaixadores americanos. Sai uma especialista em desestabilização de governos, entra um especialista em ocupação.

E agora!

Todas as piores teorias da conspiração se materializando.

Quando, poderia eu, no meu pior delírio, imaginar ver, mais uma vez, um golpe.

Um golpe aplicado pela pior safra de políticos e juristas que o mundo conheceu.

Um golpe aplicado no melhor momento desenvolvimentista que tivemos.

Um momento de inclusão.

De construção de uma sociedade mais justa.

Não aprendemos com a nossa própria História.

Estamos manchando, mais uma vez, nosso currículo.

Voltamos a ser o vira-lata, o país das bananas.

Viramos motivo de piadas.

Estamos prestes a ver, novamente, um período de ditadura como já tivemos.

Talvez pior.

Talvez mais longa.

Talvez mais cruel.

Aqueles que querem o poder, estão mais hábeis.

Os que aplicam o golpe estão mais informados.

Aqueles que nos tomaram de assalto, tem mais treinamento.

Enquanto nadávamos de braçadas em um ilusório republicanismo, tramavam o mais baixo dos imperialismos.

Sofreremos grandes revezes. Voltaremos à época do Brasil colônia e suas Capitanias Hereditárias.

Só espero que, não nos tornemos um Afeganistão.

O interventor de lá, chegou!

 

 

 

Ironia

figura por meio da qual se diz o contrário do que se quer dar a entender; uso de palavra ou frase de sentido diverso ou oposto ao que deveria ser empregado, para definir ou denominar algo [A ironia…

Fonte: Ironia