tudo-certo-frases
figura por meio da qual se diz o contrário do que se quer dar a entender; uso de palavra ou frase de sentido diverso ou oposto ao que deveria ser empregado, para definir ou denominar algo [A ironia ressalta do contexto.].

Contava minha mãe, que quando nasci o parto foi difícil. Naquele tempo, quem não queria nascer, saía na marra ou, à ferro, como se dizia. Nasci assim, arrancado à força de onde não queria sair.

Parece que já sabia o que vinha pela frente.

Meu avô era um homem rico. Morreu antes de eu nascer. Minha avó torrou tudo.

Nasci em uma família rica que acabara de detonar sua fortuna.

Fui criado em uma rua onde predominavam famílias de classe média alta, católicos, politicamente de direita.

Eu, filho de comunistas, que se desquitaram quando eu ainda era novinho e minha mãe, ainda resolve ser espírita. Ferrou!

Como uma criança, um adolescente faz para sobreviver nesse ambiente?

A minha arma foi a ironia.

Tratava tudo com humor, deixando entender uma coisa, dizendo outra.

Quando estourou o golpe de 64, a coisa ficou pior.

O que já não era muito bom ficou ainda pior.

Meu pai, que tinha um bom emprego público e, até dava uma boa pensão, foi preso e demitido.

Ficamos sem nada.

Muita gente não sabia das convicções dos meus pais.

Para todos os efeitos de sobrevivência ninguém deveria saber qual a linha de pensamento da casa.

Assim, fui vivendo. Saindo pela tangente muitas vezes, tratando tudo com ironia, na brincadeira.

Escondendo que na minha casa faltava comida, que muitas vezes a roupa era reformada das que não cabiam mais na minha irmã. Uma blusa que virava camisa. Uma saia que se transformava em um short e, por aí vai.

Cresci tendo que jogar com as palavras para não ser posto para o lado.

Fui adolescente tendo que calar meus pensamentos, por causa de um momento político que não permitia nada diferente. Era perigoso.

Cheguei à fase adulta e vi nascer um novo tempo.

Hoje, já na melhor idade, me assombro com um novo rumo no País.

O velho está de volta.

Calar, medir palavras, pensar antes de abrir a boca.

Ser o que não se é.

Do tempo que tenho de vida, a maior parte dela foi debaixo da censura.

Passei por levantes, tentativas de golpe, golpe.

A Democracia foi curta.

Novamente um golpe.

Por isso não queria sair. Fui obrigado.

Ironia, minha companheira de uma vida, nos encontramos novamente.